Você é Multi?

Outro dia eu estava ouvindo o poadcast Projeto Piloto da Lu Ferreira (@chatadegalocha) e @ThaisFarage com a convidada @MarinaSantaHelena, em que o tema da conversa girava sobre multipotencialidade. Elas discutiram suas formações universitárias e o avanço em suas carreiras profissionais. Comentaram sobre suas mudanças, sobre seus novos caminhos e como o fato de já terem suas expertises fez com que sua visão da nova profissão fosse mais sensível e se tornou mais e melhor embasada.

Pensei bastante sobre o tema e descobri que tenho uma visão parecida. Sou designer de formação (FAAP), trabalhei com decoração e mobiliário, trabalhei com a realização de eventos e cada uma destas áreas contribuiu para o que faço atualmente. As experiências se somam. 

Multipotencial, multifuncional, multitarefa. Vários “multis”.

Foto Pexels

Temos um milhão de tarefas, e-mails ainda não lidos, recados para passar, informações para compartilhar, e o horário da reunião no zoom já está chegando. São muitas as tarefas e como ter a responsabilidade de executá-las, não somente para terminá-las, mas finalizá-las com foco e discernimento e dar conta do recado?

Não dá pra deixar a peteca cair!

A meu ver, a melhor resposta é planejamento: estudar o melhor meio para que as tarefas sejam feitas com o mínimo de estresse possível. É identificar o que fazer primeiro, o que, se feito agora, vai acarretar os melhores resultados.

Já a questão da multifuncionalidade é algo bem diferente. É uma postura de vida. Ser multifuncional é ter multi interesses, é querer conhecer vários assuntos e é querer saber mais de um assunto específico e estudá-lo em profundidade. Sim, um mesmo assunto pode ser olhado de várias formas e é esta curiosidade que pode trazer a criatividade e a inovação.

Ser multi também é ter muitas habilidades. É ser capaz de trabalhar bem em equipe, ter flexibilidade, ter boa comunicação, ter visão de mercado, ter comprometimento, saber quando sua participação é efetiva e quando não é. Saber quando falar, e quando se calar.

Foto Pexels

É ser proativo, é questionar a forma como as coisas estão sendo feitas e tentar encontrar um meio mais fácil ou mais prático de fazer: É encontrar novas soluções. E, assim, trazer uma nova luz, uma visão diferente para uma mesma situação.

No meio da avalanche de informações em que vivemos, quem é multi não se perde. Consegue separar o joio do trigo, consegue escolher certo, porque tem uma visão mais global. Adquire novas habilidades se apoderando do que aprendeu, principalmente porque tem compromisso com esse aprendizado. 

À pergunta “o que você faz, qual a sua profissão?” hoje respondemos de forma mais abrangente porque ampliamos os nossos interesses, os nossos conhecimentos e as nossas aptidões. Somos mais versáteis.

O “multi” tem iniciativa, tem abrangência, mas é importante tomar cuidado para não se desviar no meio da profusão de conhecimentos. Tem que ter iniciativa… mas tem que ter “acabativa” também.

E agora eu te pergunto: você é “multi”?